08/02/2019 - 18h33

Maia diz que a comunicação correta sobre a reforma da Previdência é o maior desafio do governo

Presidente da Câmara deu entrevista coletiva em São Paulo nesta sexta-feira

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, reafirmou que o maior desafio do governo é fazer a comunicação correta para a sociedade sobre a importância e os benefícios da reforma da Previdência para economia brasileira. Maia concedeu entrevista nesta sexta-feira (8), em São Paulo, após encontro com o governador do estado, João Dória.

J. Batista/Câmara dos Deputados
Coletiva Rodrigo Maia SP
Maia se reuniu com o governador de São Paulo, João Dória, nesta sexta

“A grande questão da Previdência não é como ela chega na Câmara, mas como ela é interpretada por alguns segmentos da sociedade que não querem nenhum tipo de mudança. O grande problema é o assunto chegar contaminado”, disse o presidente.

Rodrigo Maia tem conversado com os governadores sobre a reforma da Previdência na busca de um acordo para conseguir aprovar o texto. Ontem, Maia se encontrou com o governador do Ceará, Camilo Santana, e na próxima semana terá uma rodada de reuniões em diversos estados. Ele diz não imaginar se há ou não chances de a reforma ser aprovada, porque ainda não se conhece o texto que será enviado pelo governo.

Em relação ao projeto de combate ao crime organizado e à corrupção a ser encaminhado pelo governo, Maia afirmou que a tramitação deverá ocorrer paralela à reforma da Previdência, mas que esta é prioridade.

Rodrigo Maia também foi questionado sobre a Medida Provisória (MP 868/18) que reformula o marco legal do setor de saneamento básico. O texto foi editado nos últimos dias do governo Temer e facilita a privatização de empresas públicas de saneamento básico. Para o presidente da Câmara, o tema não deveria ter sido enviado como medida provisória, porque, segundo ele, um projeto de lei daria mais segurança jurídica aos investidores do setor.

Ouça esta matéria na Rádio Câmara


“Para um investidor, uma MP é muito frágil. Daqui a quatro anos, alguém da oposição pode assumir e, numa canetada, desmontar toda a política e a segurança jurídica da privatização de um sistema de saneamento em qualquer estado do Brasil. O instrumento é o projeto de lei”, afirmou Maia.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

vicente rizzo | 12/02/2019 - 20h21
COMO COMUNICAR A REFORMA PROVIDENCIA SEM ENGANAR - 1 Min Guedes falou que sistema atual é FABRICA DE DESIGUALDADE. E é mesmo, por exemplo: o TEMER recebe aposentadoria de mais de R$30mil (alguns falam que chega a R$50mil) desde o 55 anos de idade e ele dá mostra que ainda vai receber essa vergonha por muitos anos ainda; o atual presidente começou a receber R$33mil como ex-parlarmentar e vai chegar a R$60mil com o salário de presidente. O exemplo vem de cima, isso posto vai ser muito difícil explicar, quiçá comunicar. Nesses termos é difícil entender a necessidade de Reforma da Previdência...
vicente rizzo | 12/02/2019 - 19h52
Sugestão. Levante a QUANTIDADE de aposentado por faixa de salário. Ai saberemos quem compromete a previdência. Pela imprensa sabemos que são 20% recebem 80% dos gastos da prev. Portanto 1) EC proibir aposentadora acima do teto previdenciário. 2) Lei taxando em 40% quem recebe acima do teto e 50% para salário acima teto Público. Essas duas medidas cobrem 80% do déficit providencia (cerca de 300bilhoes). Se não fizer isso qq proposta é conversa fiada. Pois o min Guedes disse que o sistema atual é uma fábrica de desigualdade. Comunicar sem enganar.
Márcia Tamaso Carreiro | 12/02/2019 - 14h47
Vocês têm que ser capazes de votar rapidamente as duas proposta da Previdência e Segurança. Basta trabalhar 8 horas por dia 5 dias na semana. Entendo que passou da hora dos deputados darem exemplos. A maior proximidade possível com as bases é votar a favor do Brasil...